PARÓQUIA S. MIGUEL DE QUEIJAS

igreja1 vitral1 igreja2 Auditorio vitral2 vitral4 igreja3 vitral3 Slide Cspq1 Slide cspq7 Slide igreja4 Slide cspq3 Slide cspq5 Slide pinturas Slide cspq8 Slide vitral5 Slide cspq6 Slide cspq2 Slide cspq4

III Domingo da Quaresma B

VendilhoesA liturgia da Palavra deste Domingo da Quaresma aborda dois pontos fundamentais da religião judaica: a Lei de Deus e o Templo que, com o passar do tempo, estavam a precisar de uma profunda purificação
Na primeira leitura, Deus oferece-nos os mandamentos que devem balizar a nossa caminhada pela vida. São indicações que dizem respeito às duas dimensões fundamentais da nossa existência: a nossa relação com Deus e a nossa relação com os irmãos.

Na segunda leitura, o apóstolo Paulo sugere-nos uma conversão à lógica de Deus. É preciso que descubramos que a salvação, a vida plena, a felicidade sem fim não está numa lógica de poder, de autoridade, de riqueza, de importância, mas está na lógica da cruz – isto é, no amor total, no dom da vida até às últimas consequências, no serviço simples e humilde aos irmãos.

No Evangelho, Jesus apresenta-Se como o "Novo Templo" onde Deus Se revela aos homens e lhes oferece o seu amor. Convida-nos a olhar para Jesus e a descobrir nas suas indicações, no seu anúncio, no seu "Evangelho" essa proposta de vida nova que Deus nos quer apresentar.


LEITURA I – Ex 20,1-17
Leitura do Livro do Êxodo

Naqueles dias, Deus pronunciou todas estas palavras:
«Eu sou o senhor teu Deus,

que te tirei da terra do Egipto, dessa casa da escravidão.

Não terás outros deuses perante Mim.

Não farás para ti qualquer imagem esculpida,

nem figura do que já existe lá no alto dos céus

ou cá em baixo na terra ou nas águas debaixo da terra.

Não adorarás outros deuses nem lhes prestarás culto.

Eu, o senhor teu Deus, sou um Deus cioso:

castigo a ofensa dos pais nos filhos

até à terceira e quarta geração daqueles que Me ofendem;

mas uso de misericórdia até à milésima geração

para com aqueles que Me amam

e guardam os meus mandamentos.

Não invocarás em vão o nome do Senhor teu Deus,

porque o Senhor não deixa sem castigo

aquele que invoca o seu nome em vão.

Lembrar-te-ás do dia de sábado, para o santificares.

Durante seis dias trabalharás

e levarás a cabo todas as tuas tarefas.

Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus.

Não farás nenhum trabalho,

nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha,

nem o teu servo nem a tua serva,

nem os teus animais domésticos,

nem o estrangeiro que vive na tua cidade.

Porque em seis dias

o Senhor fez o céu, a terra, o mar e tudo o que eles contêm;

mas no sétimo dia descansou.

Por isso, o Senhor abençoou e consagrou o dia de sábado.

Honra pai e mãe,
a fim de prolongares os teus dias
na terra que o Senhor teu Deus te vai dar.

Não matarás.

Não cometerás adultério.

Não furtarás.

Não levantarás falso testemunho contra o teu próximo.

Não cobiçarás a casa do teu próximo;

não desejarás a mulher do teu próximo,

nem o seu servo nem a sua serva, o seu boi ou o seu jumento,

nem coisa alguma que lhe pertença».


SALMO RESPONSORIAL – Salmo 18 (19)
Refrão: Senhor, Vós tendes palavras de vida eterna.

A lei do Senhor é perfeita,
ela reconforta a alma;

as ordens do Senhor são firmes,

dão sabedoria aos simples.

Os preceitos do Senhor são rectos
e alegram o coração;

os mandamentos do Senhor são claros

e iluminam os olhos.

O temor do senhor é puro
e permanece para sempre;

os juízos do Senhor são verdadeiros,

todos eles são rectos.

São mais preciosos que o ouro,
o ouro mais fino;

são mais doces que o mel,

o puro mel dos favos.


LEITURA II – 1 Cor 1,22-25
Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios

Irmãos:
Os judeus pedem milagres
e os gregos procuram a sabedoria.
Quanto a nós, pregamos Cristo crucificado,
escândalo para os judeus e loucura para os gentios;
mas para aqueles que são chamados,
tanto judeus como gregos,
Cristo é poder e sabedoria de Deus.

Pois o que é loucura de Deus

é mais sábio do que os homens

e o que é fraqueza de Deus
é mais forte do que os homens.


EVANGELHO – Jo 2,13-25
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Estava próxima a Páscoa dos judeus
e Jesus subiu a Jerusalém.
Encontrou no templo
os vendedores de bois, de ovelhas e de pombas
e os cambistas sentados às bancas.
Fez então um chicote de cordas
e expulsou-os a todos do templo, com as ovelhas e os bois;
deitou por terra o dinheiro dos cambistas
e derrubou-lhes as mesas;
e disse aos que vendiam pombas:
«Tirai tudo isto daqui;
não façais da casa de meu Pai casa de comércio».
Os discípulos recordaram-se do que estava escrito:
«Devora-me o zelo pela tua casa».
Então os judeus tomaram a palavra e perguntaram-Lhe:
«Que sinal nos dás de que podes proceder deste modo?»
Jesus respondeu-lhes:
«Destruí este templo e em três dias o levantarei».
Disseram os judeus:
«Foram precisos quarenta e seis anos para se construir este templo
e Tu vais levantá-lo em três dias?»
Jesus, porém, falava do templo do seu corpo.
Por isso, quando Ele ressuscitou dos mortos,
os discípulos lembraram-se do que tinha dito
e acreditaram na Escritura e nas palavras que Jesus dissera.
Enquanto Jesus permaneceu em Jerusalém pela festa da Páscoa,
muitos, ao verem os milagres que fazia,
acreditaram no seu nome.
Mas Jesus não se fiava deles, porque os conhecia a todos
e não precisava de que Lhe dessem informações sobre ninguém:
Ele bem sabia o que há no homem.


Ressonâncias

Jesus apresenta-se como o novo Templo. vendilhoes1O Templo era um lugar muito sagrado para os judeus. Todo o bom judeu devia ir ao templo ao menos uma vez por ano para oferecer um sacrifício a Deus. Estas ofertas para os sacrifícios faziam girar muito dinheiro e provocavam abusos e exploração. O gesto ousado de Cristo não é apenas zelo de purificação do templo. É o grande sinal da sua morte e Ressurreição. É anúncio da abolição do velho templo e do culto aí celebrado. O antigo templo já tinha concluído a sua função.

Surgirá um novo templo. Jesus é agora o "lugar" onde Deus reside, onde se encontra com os homens. É através de Jesus que o Pai oferece aos homens o seu amor e a sua vida.

Nós somos pedras vivas desse Novo Templo. O nosso testemunho é sinal de Deus para os irmãos que caminham connosco? As nossas comunidades dão testemunho da vida de Deus? A Igreja é essa "Casa de Deus" onde as pessoas podem encontrar a proposta de libertação e de Salvação que Deus oferece a todos? Qual é o verdadeiro "Culto" que Deus aprecia? Certamente é uma vida vivida na escuta de suas propostas e traduzida em gestos concretos de doação, de entrega, de serviço simples e humilde aos irmãos. Jesus purificou o templo de seus profanadores e convida-nos a purificar também o templo do nosso coração.

Qual é a nossa atitude diante da Lei de Deus, apresentada nos 10 mandamentos, resumida por Jesus em dois, e ampliada por ele no Sermão da Montanha? É um tabu ou uma resposta livre ao amor de Deus? Cristo lembra-nos: "Quem me ama, guarda os meus mandamentos."

Jesus exige respeito na casa de Deus. Se Ele viesse hoje às nossas igrejas, o que aconteceria? A quem deveria expulsar com o chicote?


Tantos deuses que os homens inventaram

O deus poder – que leva uns a julgarem-se donos de outros!
O deus dinheiro – que justifica tudo, contando que dê lucro!
O deus sexo – que até leva ao abuso de crianças inocentes!
O deus orgulho – que nunca deixa ver a razão do outro!
Diante disto vens, Senhor, dizer-nos: «Não terás outros deuses perante Mim».

Ao reler os teus mandamentos, Senhor, reconheço:
– que só eles dão a garantia que há um Deus que está acima de todos os homens;
– que só eles ensinam que todos os homens são iguais perante Deus;
– que só eles obrigam ao respeito e defesa da vida e dignidade de todos;
– que só eles libertam dos falsos deuses, que escravizam o homem.

Obrigado, Senhor, porque Te revelastes como o Deus amigo que ensina o caminho do bem, da verdade e do amor.
Ajuda-me a não me deixar seduzir pelos falsos deuses, a não voltar atrás no meu caminho para fazer do meu coração a casa alegre e feliz onde mora o Pai do Céu.


Limpeza do Templo

Um amigo propôs-me que não deixasse recolher o dinheiro do ofertório no dia em que se lê o Evangelho dos vendilhões no Templo. Porém, mais importante que eliminar o tilintar do dinheiro, é extirpar a nossa mentalidade de negociantes até mesmo de géneros espirituais ou afins. Dou um exemplo:

Num campo, estavam a trabalhar três homens. Um estava lá porque era obrigado. Era escravo, tinha medo do castigo. Outro, era um mercenário, trabalhava porque queria ganhar. Fazia troca: toma lá mas dá cá. Entre eles encontrava-se outro homem, mais novo. Este trabalhava, não por imposição, nem por interesse mas pelo simples facto de ser filho do patrão e era natural que ajudasse o seu pai.

Nas coisas de Deus podemos ter atitudes semelhantes. Podemos rezar ou ir à igreja como escravos, por imposição ou com medo do castigo eterno. Ou então por interesse, como negociantes, querendo comprar um pedacinho do Céu com a missa dominical ou algumas orações.

A operação limpeza do templo quer purificar a nossa relação com Deus e fazer de nós seus filhos. Se me comporto como escravo estou a fazer de Deus um carrasco. Se perante Deus sou um negociante, quero que Ele seja igual a mim. Sejamos apenas filhos na Casa do Pai.

Pe. José David Quintal Vieira, scj

Mandamentos, Hoje

1. Mandamento do Amor. Superar o individualismo e abrir-se aos outros irmãos.
2. O Mandamento da Tolerância. Respeitar as ideologias e as crenças de todos os povos.
3. Mandamento do Descanso. Conviver, para cultivar o espírito, para a diversão.
4. Mandamento da Família. Fazer da família um ninho de amor e de felicidade.
5. Mandamento da Vida. Respeitar a vida do nascimento até à morte.
6. Mandamento da Sexualidade. Viver a sexualidade no respeito pela dignidade humana.
7. Mandamento da Propriedade. Ter em conta que, apesar do nosso ter, a Terra é de todos.
8. Mandamento da Verdade. Evitar a mentira, a calúnia, a hipocrisia, os falsos testemunhos.
9. Mandamento da Fidelidade. Viver num amor fiel até à morte, sinal da aliança de Deus.
10. Mandamento da Moderação. Evitar o gasto excessivo e partilhar com os necessitados.

Estes são os mandamentos que, gravados no coração de todas as pessoas pelo Criador, são eternos e necessitam de ser aplicados a cada situação existencial.
Pedrosa Ferreira

 

Cateq 2018

Calendario Cateq

horariomissas



Patriarcado