PARÓQUIA S. MIGUEL DE QUEIJAS

igreja1 vitral1 igreja2 Auditorio vitral2 vitral4 igreja3 vitral3 Slide Cspq1 Slide cspq7 Slide igreja4 Slide cspq3 Slide cspq5 Slide pinturas Slide cspq8 Slide vitral5 Slide cspq6 Slide cspq2 Slide cspq4
Quares0 Quares1 Quares2 Quares3 Quares4 Quares5

II Domindo da Quaresma A

Transfig1“Este é o meu Filho… Escutai-o”

A Vida cristã pode ser comparada a uma caminhada que deve ser percorrida na escuta atenta da voz de Deus e no cumprimento dos seus planos. 
A Quaresma é a grande oportunidade que nos pode ajudar a rever essa caminhada.

A primeira leitura apresenta-nos a longa caminhada de Abraão. Deus chama-o e convida-o a deixar a sua terra, a sua família e a partir ao encontro de uma outra terra, para ser sinal de Deus no meio dos homens. Deus oferece-lhe a sua bênção e a promessa de uma família numerosa, sinal da Salvação de Deus diante de todos os povos. Diante deste desafio, Abraão acreditou e pôs-se a caminho.

Na segunda leitura, Paulo exorta o seu amigo Timóteo a superar a sua timidez e a ser um modelo de fidelidade no testemunho da fé.

O Evangelho apresenta a caminhada de Jesus para Jerusalém, onde faz o primeiro anúncio da Paixão. O sonho esperado pelos discípulos era bem diferente, por isso, ficam profundamente desanimados. Aquela aventura parece encaminhar-se para um grande fracasso!
Para fortalecer o ânimo, profundamente abalado dos discípulos, Jesus toma consigo Pedro, Tiago e João e revela-lhes no Monte Tabor o esplendor da divindade.
Com a Transfiguração, Mateus quer revelar quem é Jesus: o Filho muito amado do Pai, que vai realizar o projecto salvador de Deus em favor de todos homens através do dom da sua vida. Pela Transfiguração, Deus mostra-nos, que uma vida feita dom nunca é fracasso, mesmo se termina na cruz.


Primeira Leitura (Gn 12,1-4)
Leitura do Livro do Génesis

Naqueles dias,
o Senhor disse a Abrão:
«Deixa a tua terra, a tua família e a casa de teu pai
e vai para a terra que Eu te indicar.
Farei de ti uma grande nação e te abençoarei;
engrandecerei o teu nome e serás uma bênção.
Abençoarei a quem te abençoar,
amaldiçoarei a quem te amaldiçoar;
por ti serão abençoadas todas as nações da terra».
Abrão partiu, como o Senhor lhe tinha ordenado.


SALMO RESPONSORIAL – Salmo 32 (33)
Refrão: Esperamos, Senhor, na vossa misericórdia.

A palavra do Senhor é recta,
na fidelidade nascem as suas obras.
Ele ama a justiça e a rectidão:
a terra está cheia da bondade do Senhor.

Os olhos do Senhor estão voltados para os que O temem,
para os que esperam na sua bondade,
para libertar da morte as suas almas
e os alimentar no tempo da fome.

A nossa alma espera o Senhor:
Ele é o nosso amparo e protector.
Venha sobre nós a vossa bondade,
porque em Vós esperamos, Senhor.


Segunda Leitura (2Tim 1,8b-10)
Leitura da Segunda Epístola de S. Paulo a Timóteo

Caríssimo:
Sofre comigo pelo Evangelho, apoiado na força de Deus.
Ele salvou-nos e chamou-nos à santidade,
não em virtude das nossas obras,
mas do seu próprio desígnio e da sua graça.
Esta graça, que nos foi dada em Cristo Jesus,
desde toda a eternidade
manifestou-se agora pelo aparecimento
de Cristo Jesus, nosso Salvador, que destruiu a morte
e fez brilhar a vida e a imortalidade,
por meio do Evangelho.


EVANGELHO (Mt 17,1-9)
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Mateus

Naquele tempo,
Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João seu irmão
e levou os, em particular, a um alto monte
e transfigurou-Se diante deles:
o seu rosto ficou resplandecente como o sol
e as suas vestes tornaram se brancas como a luz.
E apareceram Moisés e Elias a falar com Ele.
Pedro disse a Jesus:
«Senhor, como é bom estarmos aqui!
Se quiseres, farei aqui três tendas:
uma para Ti, outra para Moisés a outra para Elias».
Ainda ele falava,
quando uma nuvem luminosa os cobriu com a sua sombra
e da nuvem uma voz dizia:
«Este é o meu Filho muito amado,
no qual pus toda a minha complacência. Escutai-O».
Ao ouvirem estas palavras,
os discípulos caíram de rosto por terra a assustaram se muito.
Então Jesus aproximou se e, tocando os, disse:
«Levantai vos e não temais».
Erguendo os olhos, eles não viram mais ninguém, senão Jesus.
Ao descerem do monte, Jesus deu lhes esta ordem:
«Não conteis a ninguém esta visão,
até o Filho do homem ressuscitar dos mortos».


«Levou-os em particular até a um alto monte
e transfigurou-se diante deles.»
(Mt. 17,1-2)

Eu também subi
ao Monte da Transfiguração.
Aquele instante de felicidade
deslumbrou todo o meu ser.
E quis parar o tempo,
prolongar o meu presente
sem pensar mais na vida que me esperava...

Mas Jesus ensinou-me
que é preciso descer a montanha,
carregar a tenda
e caminhar pelas veredas sinuosas da vida.
É na planície, entre os homens,
que eu tenho de contemplar
o Rosto Resplandecente do Senhor
e escutar a voz do Filho muito Amado.

Estive no Monte da Transfiguração.
A visão luminosa desapareceu
e eis que, de novo, me encontro só
perante o meu futuro.
Mas sinto os meus passos mais firmes:
à minha frente eu vejo o rasto de Jesus
que também já trilhou este caminho.

Contemplei a Transfiguração do Senhor.
Com Ele vou descer a montanha,
fazer-me peregrino e segui-l’O
até à Glória da Ressurreição.

 

Cateq 2018

Calendario Cateq

horariomissas



Patriarcado